Viru Raba – Trilha em um Pântano

Eu já tinha falado em outro post sobre as trilhas e florestas da Estônia, e no fim de semana passado fomos visitar uma das trilhas que está dentro do Parque Nacional de Lahemaa. Esse parque foi criado em 1971 com o intuito de proteger e estudar a biodiversidade, monumentos e cultura do norte da Estônia, e abrange florestas, pântanos e praias, além de alguns edifícios históricos.

Como já estamos no outono e os dias são bem curtos (agora o sol se põe às 16:30h), nosso passeio foi rápido pois decidimos de última hora que iríamos. Chegamos lá cerca das quatro da tarde, e pudemos fazer a trilha até as cinco. Do centro de Tallinn são aproximadamente 50 minutos de carro. Infelizmente uma hora não é suficiente para fazer o trajeto todo, pois são 6km em total.

Há dois estacionamentos e duas entradas, em lados opostos da trilha. Ou seja, se você fizer a trilha toda até o fim, terá que retornar pelo mesmo caminho para chegar ao estacionamento, por isso são 6km em total. Eu li que a maioria das pessoas estaciona na entrada principal (que é mais próxima à torre de observação) e quando chegam à torre, retornam pelo mesmo caminho. Eu e o Kris acabamos estacionando do outro lado, pois não sabíamos sobre a torre e nem o tamanho total da trilha (foi um rolê bem mal planejado, mesmo! haha).

Mas valeu muito a pena! Não fizemos nem metade, mas o lado que caminhamos é onde tem “mais” pântano, ou seja, mais água. O caminho de madeira é muito bom e bem cuidado, e mesmo com o clima de agora foi relativamente fácil caminhar por lá. Alguns pedaços estavam com neve e um pouco escorregadios, mas com sapatos adequados e cuidado não acho que seja perigoso.

Pela entrada principal da trilha é possível o acesso com cadeira de rodas e carrinhos de bebê até a torre de observação, pois a passarela de madeira é mais ampla. Pelo caminho também há diversas placas explicando em inglês a flora e fauna do pântano. Acho que por ser outono não conseguimos ver muito do que as placas explicavam (como aranhas, libélulas, plantas carnívoras), mas mesmo assim a paisagem e a natureza eram lindas, e o clima e o tempo nublado deixaram o lugar místico!

Eu adorei passear nessa trilha, e espero poder fazer o caminho completo da próxima vez! Apesar do frio, nós nos vestimos bem quentinhos e foi muito confortável:

  • botas antiderrapante e a prova d’água
  • roupa térmica
  • calça esportiva para neve (do tipo para esquiar e fazer snowboard)
  • jaqueta de frio a prova d’água (estava chuviscando um pouco, em intervalos, e o pântano é bem húmido)
  • luvas, cachecol e gorro

Viru Raba

Viru Raba

Viru Raba

Viru Raba

Viru Raba

Viru Raba

Viru Raba

Viru Raba

No mesmo lugar também há uma trilha para fazer de bicicleta, que aparentemente dá a volta no pântano. Além disso, em todo o Parque tem várias trilhas e locais diferentes para visitar. Me arrependi de não ter aproveitado o verão para conhecer mais da natureza na Estônia. Agora é aproveitar as poucas horas de sol e tirar o atraso!

 

 

 

Facebook Comments

Ana Poli

Ana nasceu e cresceu em Jundiaí, Sao Paulo, e aos 17 anos embarcou numa aventura – forçada, diga-se de passagem – de mudar-se com a sua família para a Cidade do México. Lá se formou em Gastronomia, e aprendeu que o mundo é grande demais para passar desapercebido. Hoje em dia vive na Estônia, trabalha como cozinheira e adora viajar, comer, e contar tudo no seu blog elculinario.org.

4 Comments

  1. Essa trilha parece ser tão legal!! E me bateu aquela saudade de fazer trilhas também, faz muito tempo que não faço. A ultima vez que fiz uma trilha assim sem muitos planos e chegando já tarde no local (quando era inverno e escurece cedo) nos perdemos e foi desesperador hahaha

    Espero ir pra Estonia com um tempinho pra fazer as trilhas aí também.
    🙂

    • Hahaha quando nós saímos de lá já estava ficando bem escuro, da próxima vez vou levar lanternas só por preocupação hahaha!
      Venha sim! Mas no verão, assim não tem perigo 😀

  2. Que maravilhoso, gente, trilha acessível e vegetação diferenciada, pelo menos em relação ao que eu tô acostumada! Esse climinha frio parece atrapalhar um pouco alguns passeios, mas concordo com você e acho que dá um toque meio mágico mesmo. ♥ E ai, que bom seu caminho nem tanto convencional também foi legal, né? É ótimo quando a gente foge um pouco das dicas de sempre e faz próprio roteiro!

    • Foi ótimo, Lis! Esse dia não estava muito frio (mas também eu estava cheia de roupa) e fazer a caminhada ajudou a esquentar muito. Realmente a natureza aqui é bem diferente e interessante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *