Risoto de Quinoa e alho selvagem da Estônia

Sim, sim, sim… falem o que quiser do nome dessa receita. Não é risoto se não tem arroz arbório, eu sei. Eu também já entrei nessa discussão antes mas, sinceramente não há maneira melhor de descrever o que é essa receita. A primeira vez que vi (e preparei) o tal risoto de quinoa, foi em um restaurante que trabalhei aqui em Tallinn no verão passado. O nome do prato? “Quinoto”.

Ok, agora é a hora de deixar o preconceito de lado e se jogar no mundo natureba. Não falo de abandonar o arroz e tudo que você conhece e já está acostumado a comer no dia a dia, mas variar e experimentar ingredientes novos é uma delícia.

A principal diferença entre quinoa e arroz é que o primeiro não é um cereal, por isso não quero confundir as duas coisas e fazer comparações. São alimentos de famílias diferentes e conteúdos nutricionais distintos. A quinoa também é conhecida como um “pseudocereal”, pois na verdade é uma planta cujas sementes são comestíveis da mesma forma que um cereal (grãos, farinha, etc).

Mas o objetivo dessa receita não é criar controvérsia, mas sim trazer variedade ao nosso dia a dia. Eu adoro experimentar com ingredientes diferentes e um dos que usei para esse risoto foi muito especial para mim, o karulauk. Ã?! Que?! Tradução: “alho dos ursos”! Esse tipo de planta é um alho selvagem que cresce na Europa e Ásia, e pertence à família da cebola, alho poró e o alho comum que conhecemos. Aqui na Estônia, ele começa a crescer no bosque durante a primavera e é livre para ser colhido por qualquer pessoa.

Karulauk, ou alho selvagem

Ao lado do endro, é uma das ervas mais emblemáticas da Estônia e durante os meses de primavera e verão está presente em quase todas as preparações caseiras e também menús especiais de muitos restaurantes. O cheiro do karulauk é bem forte à alho, e o sabor é bem parecido com o da cebolinha, mas um pouco mais forte.

Normalmente o karulauk é processado no liquidificador com óleo de girassol formando uma espécie de pesto, que é utilizado em outras preparações, como a desse risoto de quinoa. Como no Brasil não é possível encontrar o karulauk, eu deixei duas receitas diferentes de pesto que também são muito deliciosas! Mas se você mora na Estônia, recomendo muito ir atrás do tal karulauk para experimentar. Eu adoro!

O que eu mais gosto dessa receita é que a quinoa fica super cremosa, tal qual um risoto! E o pesto, seja qual for, agrega um sabor delicioso. Eu sempre penso na quinoa como “uma tela em branco” de sabores, que você pode sazonar da maneira que quiser e obter o máximo de sabor de todos os ingredientes envolvidos.

E aí, o que achou do Risoto de Quinoa? Ficou com vontade de experimentar?

 

 

Facebook Comments

Ana Poli

Ana nasceu e cresceu em Jundiaí, Sao Paulo, e aos 17 anos embarcou numa aventura - forçada, diga-se de passagem - de mudar-se com a sua família para a Cidade do México. Lá se formou em Gastronomia, e aprendeu que o mundo é grande demais para passar desapercebido. Hoje em dia vive na Estônia, trabalha como cozinheira e adora viajar, comer, e contar tudo no seu blog elculinario.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *