12 meses de culinária escandinava – JUNHO e JULHO

Gente! já estamos em julho, mas eu não poderia ficar devendo este post a vocês. Meu junho foi caótico, com muito trabalho, uma viagem ao México (que tirou dois fins de semana do mês que eu poderia ter escrito este post) e muita canseira! Finalmente hoje sinto que já me recuperei do jetlag da viagem e estou colocando minha casa (e vida) em ordem! Ufa!

O verão está chegando bem preguiçoso aqui na Estônia, com largos dias chuvosos e nublados, e um que outro dia de sol e calor. O fim de semana passado foi delicioso, e entre descansar na casa de campo e ficar de pernas para o ar o dia todo, encontrei a inspiração que me faltava para escrever este post.

Entre tantos compromissos nos últimos dois meses, falta tempo pra dedicar à cozinha e ao preparo de qualquer receita super elaborada. E a verdade é que eu já estava rezando desde maio para o verão chegar logo, por que o verão traz o que há de mais importante, antes de qualquer receita: a colheita.

Desde a primeira vez que visitei a Estônia, há dois anos, o que eu mais gostei daqui é que (quase) toda família tem sua casa de campo com sua devida horta (e por vezes, animais). A casa de campo é o lugar onde as famílias passam o verão, descansam da loucura da cidade e onde as crianças passam todas as férias escolares.

E também é de onde vem os ingredientes mais frescos e deliciosos do mundo! Cenoura, beterraba, batata, cebola, alho, abobrinha, alface, pepino, morango, vagem – isso é só o começo; depois disso saem as framboesas, tomates, mirtilos, groselhas… e eu juro – o sabor é inigualável.

A colheita é tão preciosa aqui porque batalhamos o ano todo para colocar um pouco de verdura e fruta fresca à mesa – tudo é importado e caro. Mas o verão vem para saciar toda essa fome de frescura e sabores que deixaram saudade durante os meses frios.

Toda segunda fico feliz quando chega uma sacola de presentes da avó, a responsável dessa horta linda.

Hoje aproveitei que tinha tudo isso (e mais um pouco) em casa e preparei uma salada deliciosa. Coloquei as cenouras, cebolas e cebolinhas no forno pré aquecido a 180ºC com um fio de azeite de oliva e sal rosa do himalaia. Deixei assando (sem combrir com papel alumínio) por 35 minutos, e servi sobre alface, vagem e morangos.

Eu adoro assar vegetais assim – deixe no forno até pegarem uma cor bem dourada – o sabor será bem docinho e caramelado.

Espero que esse post também sirva de inspiração para cada um de nós, começar uma horta!
Não esqueça de compartilhar <3

 

 

Salvar

Salvar

Facebook Comments

Ana Poli

Ana nasceu e cresceu em Jundiaí, Sao Paulo, e aos 17 anos embarcou numa aventura - forçada, diga-se de passagem - de mudar-se com a sua família para a Cidade do México. Lá se formou em Gastronomia, e aprendeu que o mundo é grande demais para passar desapercebido. Hoje em dia vive na Estônia, trabalha como cozinheira e adora viajar, comer, e contar tudo no seu blog elculinario.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *