Beijinho de coco recheado de doce de abóbora

Semana passada eu atualizei vários post antigos do blog, reescrevi alguns e deletei outros que não estavam muito bons. Também me dei conta que em outubro o blog fez 7 anos – entre idas e vindas, algumas mudanças de nome e vários períodos de longos meses sem escrever.

Eu também percebi o quanto esse blog é importante para mim, porquê de certa maneira conta um pouco da minha história e minha trajetória até aqui, principalmente com relação à comida e ao cozinhar. Pelo blog, eu consigo ver como eu mudei e quais os aspectos da minha vida continuam o mesmo. De todos os posts que eu li sobre o meu passado, o que mais me deixou nostálgica foi esse: Sabor de infância

Em novembro de 2012 eu escrevia sobre o outono, que é minha estação do ano favorita, e sobre o meu doce favorito da temporada: de abóbora. Também falei das minhas avós, da distância que nos separava e da lembrança tímida do doce de abóbora delas na minha vida. Cinco anos depois, não é só da casa das minha avós que eu tenho saudades, mas também sinto falta daquela tarde em 2012 em que fiz doce de abóbora lá em casa, no México.

É por isso que cozinhar é uma parte tão importante das nossas vidas, pois além de nutrir nosso corpo, também alimenta nossa alma. E foi pra deixar minha alma mais quentinha que eu inventei esse beijinho radioativo da foto (ele ficou laranja assim por causa do doce de abóbora, juro!). 😀

beijinho de coco recheado de doce de abóbora

Beijinho de coco recheado de doce de abóbora

Ingredientes

Para o beijinho

1 lata de leite condensado
1 colher de sopa de manteiga ou margarina
2 colheres de sopa de coco ralado
1 gema de ovo (opcional)
coco ralado para enrolar
cravo

Para o doce de abóbora

1 abóbora média, descascada e corta em cubos pequenos
1 – 2 xícaras de açúcar
coco ralado a gosto
cravo e canela a gosto

Modo de preparo

Para fazer o beijinho, coloque todos os ingredientes numa panela a fogo médio. Mexa sem parar com uma colher de pau até começar a borbulhar. Não pare de mexer por pelo menos cinco minutos mais, e diminua o fogo. O ponto do beijinho é quando ele começa a desgrudar do fundo da panela. Retire do fogo e deixe esfriando em um refratário, de preferência na geladeira.

Coloque os cubos de abóbora em uma panela com o açúcar. Deixe cozinhar a fogo baixo mexendo de vez em quando. O tempo depende da quantidade de abóbora, eu não tinha muita e demorou quatro horas para dar ponto. A abóbora tem que estar super molinha, eu amassei com um amassador de batatas para desmanchar os cubinhos. No final coloque coco, cravo e canela a gosto.

Quando seu doces já estiverem bem frios, comece a montar os beijinhos. Na palma da sua mão (untada com manteiga) faça uma bolinha de beijinho, amasse com a outra palma e coloque um pouco do doce de abóbora no meio. Tente não pegar muito liquido, se não seu beijinho vai ficar com essa cora radioativa igual o meu.

Feche o beijinho e enrole, passando pelo coco ralado. Termine com um cravinho em cima. Pronto!

beijinho de coco recheado de doce de abóbora

Eu sei que beijinho de coco e doce de abóbora são amor ou ódio, mas mesmo assim quis colocar essa receita aqui! Sei de muita gente que não gosta, porém são dos meus doces favoritos e lógico que são deliciosos! 😉

Você também tem alguma comida especial que te desperta lembranças da infância?

Facebook Comments

Ana Poli

Ana nasceu e cresceu em Jundiaí, Sao Paulo, e aos 17 anos embarcou numa aventura – forçada, diga-se de passagem – de mudar-se com a sua família para a Cidade do México. Lá se formou em Gastronomia, e aprendeu que o mundo é grande demais para passar desapercebido. Hoje em dia vive na Estônia, trabalha como cozinheira e adora viajar, comer, e contar tudo no seu blog elculinario.org.

9 Comments

  1. Sei bem o que você quer dizer, Ana. Também tenho alguns momentos de crise com a minha escrita, mas ela traz um quentinho no coração, né? Tantas lembranças boas e sentimentos eternizados.
    Sua história com a comida é muito bonita! Não sou muito de cozinhar, mas com certeza algumas receitas também me lembram infância, o mais legal é quando elas nos remetem a pessoas específicas. Minha vó é famosa pelo creme de sonho de valsa e bolo de ameixa (salivo só de pensar, hahaha). Essa sua receita do docinho de abóbora é a cara da minha mãe, vou até mostrar pra ela!! Beijoss

  2. Ai, Ana.. que maldade esse post, estou salivando muito aqui!
    Se acredita que parei pra pensar aqui e acho que nunca provei doce de abobora? Se provei acho que nem me lembro mais porque faz tanto tempo hahaha que coisa!
    Ler esses posts aqui no teu blog me faz ter vontade de me aventurar mais na cozinha 🙂

    • O doce de abóbora é muito tradicional, e típico da época de festa junina… mas você pode comprar uma abóbora pequenina e fazer um pouquinho para experimentar 🙂 não tem erro! Tenta sim, cozinhar pode ser muito relaxaste (vai que você descobre um novo hobby! ;))

    • Oi Prisiclla! Obrigada pelo elogio, fico feliz que você tenha chegado aqui! Faça sim e volte me contar como ficou!
      Beijos

  3. É bom manter um registro, né? Também sinto isso em relação ao meu blog. O beijinho está com uma cara ótima, achei muito criativo fazer com doce de abóbora! 🙂

    • Não é mesmo Natalia? Às vezes nossa memória é falha e nos engana, é gostoso ler sobre nosso próprio passado. E essa receita foi uma epifania minha! Haha. Fico feliz que tenha gostado. Volte sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *